O Hospital Estadual apoia e participa desta campanha!






Institucional


O Hospital Estadual Bauru tem área construída de 23.500 m² em um terreno de 39.700m². De construção vertical, em 4 blocos assim distribuídos:

- bloco 1: 7 pavimentos: serviços, administração, centro cirúrgico, unidades especiais de internação e enfermarias;

- blocos 2 e 3: 2 pavimentos : ambulatórios, emergência e apoio diagnóstico terapêutico (interligados ao bloco 1);

- bloco 4: térreo: serviços de apoio (não interligado).

O início do atendimento à população pelo Hospital Estadual Bauru foi com a atividade ambulatorial. Entre as atividades possíveis, as consultas médicas especializadas foram definidas como os primeiros serviços a serem ofertados.

 

Modelo de funcionamento


   - cotas de consultas para municípios da região abrangida pelo DRS-VI;
   - pactuação de protocolos de encaminhamento e retorno dos pacientes;
   - agendamento das consultas pelos municípios, previamente, via telefone.

 

Capacidade ambulatorial instalada:


   - número de consultórios: 14
   - salas de apoio para consultas e procedimentos: 16
   - leitos de observação: 04

    Início das atividades: 04 de novembro de 2002


O Hospital Estadual Bauru atende exclusivamente pacientes oriundos do Sistema Único de Saúde – SUS, abrangendo a região compreendida pelo DRS-VI/Bauru, que compreende 68 municípios, com população estimada de 1,8 milhão de pessoas.

Os serviços assistenciais se iniciaram com as Especialidades Ambulatoriais: Cardiologia, Reumatologia, Endocrinologia, Dermatologia e Pneumologia, área adultos.
Essa oferta de atendimento nas especialidades está sendo gradativamente ampliada. São oferecidas, atualmente, além das já mencionadas, mais de 30 especialidades

Atualmente o Hospital Estadual Bauru conta com os seguintes recursos:

Capacidade: 318 leitos

Centro Cirúrgico Ambulatorial:
     - 02 salas de cirurgia
     - Leitos para recuperação pós cirúrgica: 20 leitos

Centro Cirúrgico:
     - 12 salas de cirurgia
     - Leitos para recuperação pós cirúrgica: 16 leitos
     - 01 sala para indução anestésica com 02 leitos

Urgência Referenciada:
     - 03 leitos para emergência
     - 01 sala para pequenas cirurgias
     - 04 salas de apoio para consultas e procedimentos
     - 12 leitos de observação adulto
     - 06 leitos de observação infantil

Leitos Terapia Intensiva: 35 leitos
     Unidade de Terapia Intensiva Adultos: 10 leitos + 01 isolamento
     Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica: 10 leitos + 01 isolamento
     Unidade de Terapia Intensiva Coronariana: 09 leitos
     Unidade de Terapia Intensiva Queimados: 04 leitos

Atendimento Ambulatorial:
     - 14 consultórios
     - Salas de apoio para consultas e procedimentos: 16 salas
     - Leitos de Observação: 06 leitos

Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico:
     - Unidade Laboratorial de Análises Clínicas: 01
     - Unidade de Anatomia Patológica: 01
     - Unidade de Exames Especiais: 01
     - 02 salas para endoscopia
     - 01 sala para ecocardiograma
     - 01 sala para densitometria
     - 01 sala para mamografia
     - 01 sala para tomografia
     - 01 sala para hemodinâmica
     - 02 salas para radiografia
     - 01 sala para eletromiografia
     - 01 sala para eletroencefalograma
     - 02 salas para eletrocardiograma
     - 01 sala para holter
     - 01 sala para testes ergométricos
     - 03 salas para exames ultrasonográficos
 

Missão


Contribuir com a sociedade, desenvolvendo a saúde, prestando assistência médico-hospitalar, conforme os princípios definidos pelo Sistema Único de Saúde-SUS, fazendo a promoção, proteção, prevenção e educação para a saúde e, fomentando a pesquisa e o desenvolvimento cientifico aplicado à saúde.

 

Valores


Os valores que norteiam o Hospital são a ética, qualidade, competência, transparência, comprometimento, respeito, parceria, harmonia, dinamismo, humanização, responsabilidade, coerência, profissionalismo, criatividade e confiabilidade.

 

Equipe HEB


O Hospital Estadual tem mais de mil funcionários. São 200 médicos, 93 enfermeiros, 345 técnicos e auxiliares de enfermagem e 50 outros profissionais de saúde, além de pessoal técnico-administrativo e de serviços gerais. Dispõe também de médicos residentes e estudantes que estão terminando o curso de medicina.

Conta com a ação de voluntários que trabalham para aumentar o conforto de seus pacientes. O Projeto Alegria é um exemplo da parceria entre a instituição e organizações não-governamentais.

 

Tecnologia


O HEB possui serviços e equipamentos modernos. Um exemplo de tecnologia aplicada ao atendimento é o PACS (Picture Archiving Communication System). Consiste num sistema de digitalização e armazenamento de imagens de exames de radiodiagnóstico (raios-X, ultra-sonografia, tomografia, entre outros). O Hospital Estadual Bauru é o primeiro hospital público do Brasil a ter esse tipo de serviço.

 

Serviços prestados


O Hospital Estadual Bauru possui 318 leitos operacionais (270 gerais, 13 para queimados, 35 de terapia intensiva) e 63 leitos complementares. Vem ampliando sistematicamente sua atuação. Atualmente realiza, em média, 10.000 consultas médicas, 600 cirurgias, 26.000 exames e 900 internações por mês.

Na parte de atendimento ambulatorial, as especialidades mais procuradas são endocrinologia adulto, ortopedia, otorrinolaringologia, cirurgia plástica, urologia adulto, reumatologia adulto e cardiologia.

No serviço hospitalar, dispõe de internação, UTI, Unidade de Tratamento de Queimaduras, Unidade Coronariana e Centro Cirúrgico que faz, inclusive, cirurgias cardíacas pediátricas. Com relação a exames, realiza diagnóstico por imagens, análises clínicas e procedimentos na área de Cardiologia.
Desde junho de 2004, o Hospital Estadual presta mais um serviço. Possui uma equipe multiprofissional capacitada para a realização de captação de córneas em casos de óbito ocorridos na instituição.

  • Agência Transfusional
  • Central de Material Esterilizado
  • Centros Cirúrgicos
  • Emergência
  • Farmácia
  • Laboratórios
  • Nutrição e Dietética
  • Serviços Ambulatoriais
  • Unidades de Tratamento Intensivo
  • Vigilância Epidemiológica

A Agência Transfusional é responsável pelas atividades relacionadas ao uso de sangue e seus componentes com fins terapêuticos, além de procedimentos específicos para tratamento de diversas doenças.

A transfusão de sangue consiste na administração do sangue de um indivíduo doador para um receptor. Este procedimento deve respeitar as particularidades do sangue de cada pessoa.

A hemoterapia utiliza metodologia padronizada e técnicas altamente refinadas com o objetivo de garantir a qualidade do sangue e acrescentar segurança aos procedimentos.

A Agência Transfusional funciona 24 horas, todos os dias.

A Central de Material Esterilizado, está localizada no subsolo do Complexo Hospitalar, e é composta pelas seguintes áreas:

Expurgo e Classificação de Materiais: destinada à recepção, separação, lavagem de materiais contaminados e limpos e classificação desses materiais.

Desinfecção Química: destinada a desinfecção de materiais e instrumentais, com necessidade de restrição com relação às demais áreas do setor.

Preparo de Materiais: destinada à montagem e o preparo de materiais, caixas cirúrgicas e campos.

Esterilização e Arsenal: local onde são esterelizados e acondicionados os materiais e instrumentais para distribuição.

Preparo de roupas: destinada à seleção, revisão, preparo e acondicionamento de roupas cirúrgicas, campos e compressas.

Expedição: destinado à aferição do conteúdo existente nos carros de transporte para liberação.

Sala de Guarda de Materiais Esterilizados: destinada à guarda dos materiais que estarão sendo distribuídos.

Sala de Montagem dos Carros de Transporte de Materiais: destinada à montagem dos carros de transporte que levarão os materiais esterelizados os demais setores do hospital.

Sala de Acondicionamento dos Carros de Transporte de Materiais: destinada a limpeza, desinfecção e acomodação dos carros de transporte.

As cirurgias hospitalares são as de procedimento mais complexo e, portanto, necessitam da utilização dos centros cirúgicos. As cirurgias do HEB, basicamente, são resultantes das consultas ambulatoriais, ou de multirões específicos de atendimento.

As cirurgias hospitalares também são agendadas previamente e geram um grande número de internações. Os pacientes que passam por um centro cirúrgico, na maioria das vezes, precisam de cuidados pré e pós-operatórios.

Centro Cirúrgico Geral


O Centro Cirúrgico do HEB localiza-se no 1° andar. Sua estrutura compreende: 12 salas de cirurgia, 16 leitos para recuperação pós-cirúrgica e uma sala para indução anestésica com 2 leitos.

A equipe que participa do ato cirúrgico é composta pelo cirurgião, anestesista e equipe de enfermagem (enfermeiro, instrumentador, circulante, técnicos e auxiliares), cabendo a todos, atividades específicas.

Centro Cirúrgico Ambulatorial


O HEB possui 2 salas para as cirurgias ambulatoriais, ou seja, aquelas nas quais não há necessidade de internação do paciente. As especialidades que realizam estas cirurgias são dermatologia, cirurgia plástica e oftalmologia.

O Centro Cirúrgico Ambulatorial é também utilizado para alguns procedimentos, tais como aplicação de toxina botulínica (nas especialidades de ortopedia infantil e neurologia adulto), pulsoterapia e testes de endocrino (infantil).

 

 

  •  
  •  

    A unidade de Emergência do Hospital Estadual Bauru é referenciada, o que significa que os pacientes são encaminhados para ela através dos Pronto Socorros e Hospitais de Bauru e região (DRS-VI).

    Essa unidade atua como retaguarda para os hospitais da região e conta com consultórios, salas para pequenas cirurgias, salas de apoio para consultas e procedimentos e leitos de observação.

    A Farmácia Hospitalar do HEB tem abrangência assistencial, técnico e administrativa, onde se desenvolvem atividades ligadas ao armazenamento, controle, dispensação, distribuição, programação do consumo e compras de medicamentos e contrastes radiológicos para as unidades hospitalares.

    O principal objetivo é servir ao paciente, principalmente em dispensar medicações seguras e oportunas.

    Entre as inovações está o sistema de Dispensação por Dose Unitária Diferenciada.

    A Nutrição Parenteral é terceirizada, o encaminhamento da fórmula da NPP prescrita pelos médicos, bem como a conferência do produto recebido e sua distribuição às enfermarias requisitantes, é da responsabilidade da Farmácia do Hospital.

    A farmácia orienta e informa os pacientes ambulatoriais que utilizam medicamentos que estejam incluídos no Programa de Alto Custo, da Secretaria de Estado da Saúde, organizando e anexando os documentos necessários para posterior encaminhamento aos médicos consultores.

    A farmácia funciona 24 Horas e participa efetivamente das comissões:

    • Farmácia e Terapêutica
    • Permanente de Controle de Infecção Hospitalar
    • Terapia Nutricional
    • Científica

    Laboratórios

    Nutrição e Dietética

    Os ambulatórios do Hospital Estadual Bauru prestam assistência médica para avaliação, diagnóstico e tratamento de pacientes que não necessitam de internação.

    Atendendo em 34 especialidades, os ambulatórios B e C, localizados no bloco 3, contam com consultórios médicos, salas de apoio (de curativos, medicação, triagem e inalação) e leitos de observação.

    O ambulatório de cardiologia, que fica no subsolo, possui estrutura adequada para realizar consultas e exames em pacientes cardiopatas.

    Há, ainda, o ambulatório de hematologia, também no subsolo, que realiza vários tipos de procedimentos relativos à assistência na especialidade.

    Os médicos de todos os serviços ambulatoriais contam com o auxílio de laboratórios e de centros de diagnóstico por imagem para garantir a descrição precisa do quadro clínico de seus pacientes.

    A presença de psicólogas e assistentes sociais assegura um tratamento humanizado nas unidades ambulatoriais.

    Lembramos que todos os serviços ambulatoriais são referenciados, isto é, os pacientes devem vir encaminhados pelos serviços de saúde dos municípios que compõem a área de abrangência do DRS-VI.

    Centro Ambulatorial de Oncologia


    Funcionando desde outubro de 2008, o Centro Ambulatorial de Oncologia possui uma estrutura completa para a assistência aos pacientes oncológicos. São 35 leitos de aplicação de quimioterapia, sendo 30 para adultos e 5 pediátricos, além de 2 leitos de emergência.

    Os 4 consultórios são próprios para o atendimento multidisciplinar ao paciente, que abrange:

    • oncologia clínica
    • oncologia em cuidados paliativos
    • terapia da dor
    • enfermagem
    • nutrição
    • psicologia
    • serviço social

    Centro de Terapia Renal Substitutiva (Diálise)


    Situado no bloco 3, o Centro de Terapia Renal Substitutiva funciona desde janeiro de 2008 e presta assistência ao doente renal crônico que necessita de hemodiálise ou de diálise peritoneal.

    A capacidade operacional do CTRS é de 27 máquinas de Hemodiálise, sendo 2 máquinas para portadores de Hepatite B e 4 para Hepatite C.

    Já com relação à diálise peritoneal, que é aquela em que o paciente realiza em casa, os profissionais do serviço realizam orientação periódica sobre o manejo correto da máquina, além de acompanhamento clínico destes pacientes.

    O CTRS possui, ainda, 3 consultórios para atendimento de médicos nefrologistas.

     

    Horários de Funcionamento

    Confira abaixo os horários e dias de funcionamento, de acordo com cada Ambulatório.

    Ambulatórios B e C (diversas especialidades)

    2ª a 6ª feira, das 07h00 às 20h00

    Ambulatório de Cardiologia

    3ª a 5ª feira, das 07h00 às 16h00, e 6ª feira, das 12h00 às 16h00

    Ambulatório de Hematologia

    2ª a 6ª feira, das 07h00 às 19h00

    Centro Ambulatorial de Oncologia

    2ª a 6ª feira, das 07h00 às 19h00

    Centro de Terapia Renal Substitutiva (Diálise)

    2ªs, 4ªs e 6ªs feiras, das 07h00 às 23h00
    3ªs, 5ªs e sábados, das 07h00 às 19h00

    Vale lembrar que os horários acima se referem ao funcionamento dos serviços como um todo; entretanto, cada especialidade médica possui seus dias e horários próprios para atendimento.

    Se você trabalha em serviços de saúde dos municípios de abrangência do DRS-VI, consulte os protocolos de encaminhamento de pacientes, que apresentam a documentação e exames necessários para que você possa realizar os agendamentos.

    As Unidades de Tratamento Intensivo (UTI's)são estruturas montadas para suporte avançado de vida a pacientes mais graves, oferecendo monitorização completa e cuidados intensivos durante as 24 horas do dia.

    No HEB, são 35 leitos de tratamento intensivo, distribuídos por 4 unidades:

    • UTI Adultos, com 11 leitos;
    • UTI Pediátrica, com 11 leitos;
    • UTI Coronariana, com 9 leitos;
    • UTI para Tratamento de Queimaduras, com 4 leitos.

    Algumas doenças, por conta de fatores como potencial de disseminação, disponibilidade de medidas de controle, programas de erradicação, dentre outros, devem ser notificadas imediatamente às autoridades competentes, quando de sua confirmação ou suspeita. A detecção e notificação destas doenças dentro do hospital, bem como a rápida intervenção para seu tratamento, são algumas das principais atribuições do Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NVE).

    O HEB é o único hospital da região que possui seu próprio NVE. Criado em junho de 2004, o NVE é um órgão de fundamental importância para a melhora da saúde de toda a região, pois é a partir da detecção e notificação rápida das DNCs* (Doenças de Notificação Compulsória), que são tomadas medidas de controle e prevenção.

    O NVE tem, ainda, uma atuação articulada à Rede de Alerta e Resposta às Emergências em Saúde Pública (Rede CIEVS), que é composta por unidades de monitoramento e equipes de resposta rápida às pandemias e epidemias, como é o caso, por exemplo, da Leishmaniose Visceral Americana e da Influenza A.

    O Núcleo também coordena a Sala de Vacinas do HEB, participando das campanhas nacionais de vacinação e desenvolvendo os chamados bloqueios vacinais, que são a busca ativa de pessoas que estiveram em contato com pacientes de varicela, sarampo, caxumba, etc... para aplicação de vacinas, a fim de impedir que estas doenças, que são preveníveis, contagiem mais indivíduos.

    Outra ação de importante iniciativa do NVE são as campanhas de diagnóstico das hepatites virais, abertas a toda comunidade. Por meio delas, a pessoa realiza gratuitamente o exame para detecção da hepatite e, em caso positivo, é encaminhada para o Ambulatório de Hepatites Virais, onde recebe tratamento, sendo atendida por uma equipe multiprofissional, composta por médicos gastroenterologista e infectologista, assistente social, psicólogo e nutricionista. Este trabalho, inclusive, foi premiado pela Secretaria de Estado da Saúde, conquistando o 2º. Lugar na categoria Atendimento ao Cidadão do Prêmio Ideia Saudável de 2009.

    *A lista das DNCs está disposta na Portaria no. 5 SVS/MS, de 21/02/2006. Para ver a Portaria na íntegra, clique aqui.


    O Hospital Estadual Bauru (HEB) “Dr. Arnaldo Prado Curvêllo” é administrado pela Famesp – Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar e faz parte de um novo modelo de gestão implantado pelo governo estadual.

    O modelo prevê o contrato entre Organizações Sociais de Saúde (OSS) e o Estado. No HEB, a responsabilidade pelo gerenciamento da instituição e o cumprimento de metas de produção, atendimento e qualidade, estipuladas pela Secretaria do Estado da Saúde, ficam a cargo da Famesp, enquanto ao governo cabe a manutenção financeira do hospital.

    A instituição presta serviços aos 68 municípios de sua área de abrangência, sendo referência numa região de aproximadamente 1,8 milhão de habitantes. Além do atendimento ambulatorial e hospitalar em 40 especialidades, realiza exames dos mais simples aos mais modernos.

    O HEB não possui convênios com planos de saúde e o seu trabalho é inteiramente voltado aos usuários do SUS – Sistema Único de Saúde. Presta atendimento referenciado, ou seja, seus pacientes vêm encaminhados pela rede pública de saúde.


    Em 25 de julho de 2001 foi criada na Faculdade de Medicina de Botucatu, Comissão Especial para estudar a viabilização a proposta de contrato de gestão entre a Secretaria de Estado da Saúde e a Unesp, para que o recém concluído Hospital Estadual Bauru fosse gerido pela Faculdade de Medicina de Botucatu, com a interveniencia da Famesp;

    Em 05 de outubro desse ano, a Comissão deu Parecer favorável;

    Em 10 de outubro, a Congregação da Faculdade de Medicina aprovou o Parecer da Comissão;

    Em 16 de outubro o Magnífico Reitor da Unesp, Prof. Titular José Carlos Souza Trindade, encaminhou oficio ao Secretario de Estado da Saúde, Dr. José da Silva Guedes, informando a intenção da Unesp em formalizar convenio com a Secretaria para administrar o Hospital Estadual Bauru, por intermédio da Faculdade de Medicina de Botucatu e com a interveniencia da Famesp;

    Em 23 de janeiro de 2002, Dr. José da Silva Guedes, Secretario de Estado da Saúde, anunciou que a Unesp fora contemplada com a decisão da Secretaria em entregar a ela a administração do Hospital Estadual Bauru;

    Em 12 de agosto de 2002 foi entregue à Secretaria de Estado da Saúde o Plano Operacional. Esse Plano Operacional é o planejamento elaborado pela Faculdade de Medicina juntamente com a então DIR-X (atual DRS-VI), levando em consideração as necessidades de atendimento médico-hospitalar da região e a disponibilidade da Faculdade de Medicina para atendê-las;

    Em 09 de outubro de 2002 foi publicada a Portaria Unesp 472, que dispõe sobre Convênio de Parceria na Gestão de Serviços Públicos de Saúde;

    Em 11 de outubro de 2002 foi assinado o Contrato de Gestão, entre a Secretaria de Estado da Saúde e a Unesp, para que o Hospital Estadual Bauru fosse administrado pela Faculdade de Medicina de Botucatu, com a interveniencia da Famesp.

    A UNESP – Universidade Estadual Paulista – firmou convênio com a Secretaria de Estado da Saúde, em 24 de outubro de 2002, para gerenciar o Hospital Estadual Bauru, daquela Secretaria, por intermédio da Faculdade de Medicina, em Botucatu e, com a interveniência da FAMESP, Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar.

    Em 2012, mais precisamente no dia 28 de outubro, foi celebrado o contrato de gestão diretamente entre Secretaria de Estado da Saúde e FAMESP para a gestão do Hospital.

    Contrato de Gestão: instrumento firmado entre a SES e FAMESP para formação de parceria das partes com o intuito de fomentar e executar as atividades relativas ao HEB, pactuando-se objetivos; metas; obrigações; valores; acompanhamento e avaliação de resultados; suspensão, rescisão, vigência e renovação dos contratos; publicidade e controle social; desqualificação e penalidades. Conteúdo básico: disposições estratégicas,indicadores de desempenho,definição de meios e condições para a execução das metas pactuadas, e sistemática de avaliação. Pelo contrato de gestão, o Estado se mantém como o financiador do sistema e atua como regulador de serviços e do sistema mas permite ao seu parceiro a autonomia da gestão.

    A Diretoria do Hospital Estadual Bauru tem autonomia para a gestão do hospital, dentro dos limites estabelecidos pelo contrato de gestão de acordo com as diretrizes fixadas pela Famesp.




          

    "O Hospital Estadual Bauru atende gratuitamente pelo SUS.
    O atendimento neste hospital é pago com recursos públicos, provenientes de impostos e contribuições sociais."
    Av. Luiz Edmundo Carrijo Coube, 1-100 - Fone: (14) 3103-7777 - Bauru - SP - CEP: 17033-360
    Hospital Estadual Bauru | Copyright 2010